A distância que aproxima
18 de abril de 2012

Manter distância lateral e frontal não é só questão de bom senso. É obrigação prevista pelo Código Brasileiro de Trânsito:

            Art. 29. O trânsito de veículos nas vias terrestres abertas à circulação obedecerá às seguintes normas:

            II – o condutor deverá guardar distância de segurança lateral e frontal entre o seu e os demais veículos, bem como em relação ao bordo da pista, considerando-se, no momento, a velocidade e as condições do local, da circulação, do veículo e as condições climáticas;

Imagem: http://bit.ly/I6V9Et.

Muitos condutores desconhecem este artigo e não refletem a fundo sobre as consequências de um estilo de direção não defensiva. Em primeiro lugar porque ao reduzirem as distâncias eles estão reduzindo as suas chances de evitar acidentes. Em segundo porque ainda não inventaram uma bola de cristal com transmissão direta de pensamentos. Como adivinhar que o condutor ao lado irá desviar de um buraco e se deslocar alguns centímetros o suficiente para tocar sua lateral ou retrovisor que está perto o suficiente para isso? 

Ninguém que trafega pelas ruas está livre de ter uma pane mecânica ou ter que frear bruscamente para um animal passar ou uma criança correndo. E aí como fica sem distância frontal? Não fica, não é? 

Sabe aquele antigo ditado de dirigir para si e principalmente para os demais? Ele se aplica perfeitamente aqui. Você pode ser um exímio “piloto” e estar seguro de conseguir costurar as pistas e encaixar seu carro no fluxo como um campeão de Tetris, aquele jogo de encaixar peças que caem incessantemente. Mas será que você consegue driblar todos os imprevistos? Um exemplo: um motociclista que passe numa poça de óleo e caia. Suas chances de não o atingir são bem maiores se você respeita as distâncias. 

Outro ponto de vista: todo mundo já foi novato na direção. Uns com menos dificuldades, outros com mais. Andar colado seja na lateral ou atrás de um novato é uma forma de aumentar – e muito – a insegurança desta pessoa no volante. Será que é mesmo necessário agir assim? Será que numa sociedade e num mundo melhor esta atitude teria espaço? 

1,5 metro de distância ao ultrapassar bicicletas é lei

Foto: http://bit.ly/HUBPMt.

É o que diz o artigo 201 do CBT: 

             Art. 201. Deixar de guardar a distância lateral de um metro e cinquenta centímetros ao passar ou ultrapassar bicicleta: Infração – média; Penalidade – multa.

Apesar disso, infelizmente a redação do artigo tem impedido a fiscalização nas ruas. Por determinar uma medida objetiva, ele demanda que o agente de trânsito tenha uma forma também objetiva para provar a conduta irresponsável do motorista autuado, que do contrário poderia recorrer e ganhar o recurso. A solução seria a revisão do artigo para “distância segura”.

Enquanto este impasse não é resolvido, alternativas emergenciais vão sendo encontradas. É o caso de São Paulo, que a partir de maio, segundo compromisso assumido pelo Secretário Municipal de Transportes, Marcelo Castelo Branco, passará a autuar condutores com base no artigo 169, embora o artigo 192 também se aplique e entidades que representam ciclistas tenham pleiteado sem sucesso a autuação pelo artigo 170. 

            Art. 169. Dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança: Infração – leve; Penalidade – multa. 

Em contrapartida, os ciclistas deveriam ficar atentos aos equipamentos de segurança e principalmente aos que garantem maior visibilidade nas vias. Segundo o CBT são obrigatórios: 

            VI – para as bicicletas, a campainha, sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos pedais, e espelho retrovisor do lado esquerdo.” 

Atentos a isso, a CicloLiga lançou o projeto “Um metro e meio, a distância que aproxima”, que visa conscientizar as pessoas sobre a distância mínima entre carros e ciclistas, garantindo assim a segurança de todos. A CicloLiga é “uma união de coletivos de ciclistas que se juntaram para propor, juntos, projetos e ideias que transcendam o universo de atuação de cada coletivo e que ajudem a promover uma cidade mais amiga de quem usa a bicicleta para se deslocar”, como foi descrito pelo Willian Cruz no blog Vá de Bike. 

Imagem: http://bit.ly/xEILBc.

Ultrapassagens e manobras com deslocamento lateral

O Código Brasileiro de Trânsito também reforça a importância da distância lateral em ultrapassagens… 

Imagem: http://bit.ly/I6V9Et.

             Art.29. 

            XI – todo condutor ao efetuar a ultrapassagem deverá:

a) indicar com antecedência a manobra pretendida, acionando a luz indicadora de direção do veículo ou por meio de gesto convencional de braço;

            b) afastar-se do usuário ou usuários aos quais ultrapassa, de tal forma que deixe livre uma distância lateral de segurança;

… e manobras que exigem deslocamento lateral, dedicando um artigo para como proceder nestes casos para não ocasionar colisões.  (clique aqui para ler mais sobre ultrapassagem responsável)

             Art. 35. Antes de iniciar qualquer manobra que implique um deslocamento lateral, o condutor deverá indicar seu propósito de forma clara e com a devida antecedência, por meio da luz indicadora de direção de seu veículo, ou fazendo gesto convencional de braço. 

            Parágrafo único. Entende-se por deslocamento lateral a transposição de faixas, movimentos de conversão à direita, à esquerda e retornos.  

Como sempre colocamos aqui, preferimos a conscientização através do conhecimento e da humanização. Por isso, só agora no final do post completamos a informação de que não deixar distância lateral e frontal é infração grave, com penalidade, multa e pontos na carteira de habilitação, conforme diz o artigo. 

            Art. 192. Deixar de guardar distância de segurança lateral e frontal entre o seu veículo e os demais, bem como em relação ao bordo da pista, considerando-se, no momento, a velocidade, as condições climáticas do local da circulação e do veículo: Infração – grave; Penalidade – multa.

 

Por isso nada de deixar de lado a segurança e convivência. Distância lateral e frontal não é difícil de manter, né?

 

Imagem de capa: http://bit.ly/HUwPsD.